AR LIVRE

DICAS PARA ESCOLHER MATERIAL

 

Existem dois tipos de material quanto à utilização. O Material Coletivo, e o Material Individual. As dicas que vamos aqui colocar são sobre o material individual.

Todo o Escoteiro tem o seu Uniforme e apesar de ser material individual não é sobre ele que vamos falar.

 

CALÇADO

 

O calçado deve ser a parte mais importante de qualquer equipamento de um Escoteiro. As razões são mais que óbvias. O Escoteiro desloca-se a pé.

 

Devemos dar prevalência a botas em vez de sapatos. O ideal serão botas de montanha. 

 

Existem dois tipos de botas: rígidas ou semi-rigídas. As que melhor se coadunam com as atividades escotistas são as semí-rígidas. As rígidas têm aplicações mais técnicas, como o montanhismo ou o alpinismo.

 

Como é que as podes distinguir? É simples. Na loja, agarras na bota do expositor e tentas que a biqueira da bota toque o cano da bota, dobrando-a. Se ela se dobrar é porque estás com o modelo semírigido.  Se tiveres dúvidas quanto a este procedimento, pergunta ao teu Chefe.

 

Outras características importantes.

 

- Devem ser impermeáveis. Geralmente ou são totalmente de couro, ou têm uma membrana (Gore-Tex, Sympatex, Novadry, etc.)

- Mais costuras, mais sítio por onde entrar água (mesmo as impermeáveis)

- Evitar refletores ou material refletor

 

O tamanho certo

 

 - As botas devem ser compradas ao final do dia. No final do dia, os pés "incharam" o suficiente para não fazermos uma má avaliação do tamanho das botas.

 - Calça as botas e aperta-as. Deves sentir o teu pé perfeitamente aconchegado sem balanços no interior. É esse aconchego que vai evitar que os pés roçem no interior das botas enquanto caminhas e a criação de bolhas.

 - No entanto o pé precisa de "trabalhar" dentro da bota. Com a bota calçada, pressiona o pé contra a biqueira da bota e vê se consegues enfiar o dedo indicador entre a bota e o teu calcanhar. Consegues? Está óptimo.

 

IMPERMEÁVEL

 

Não ligamos muito a esta peça de equipamento. Felizmente no nosso país chove pouco e as chuvas e o frio não são coisas muito severas. No entanto isso é absolutamente errado. Devemos pensar no impermeável como um "abrigo". Resistente à chuva, ao vento, mas ao mesmo tempo respirável. Um impermeável, não é a mesma coisa que uma capa para a chuva. E claro, o preço também é diferente.

 

O que deves procurar

 

 - Casaco impermeável, que faça pouco barulho a roçar as mangas e de cor sóbria. Atenção às cores claras. Refletem o calor em vez de o absorver. O preto ou cores escuras são o ideal. 

 - Que possua uma membrana que os torna transpiráveis: Gore-tex. Novadry, Event (a melhor membrana), etc.

- Com o menor número de bolsos possível. Mais bolsos significa mais hipóteses da água entrar.

- É melhor se os fechos forem à prova de água.

 

MOCHILA

 

- Existem três tipos de mochila: Para Damas, Cavalheiros e Crianças. A ergonomia dos géneros é importante, não se esqueçam.

 

QUAL A MOCHILA IDEAL

 

 - Ainda está para ser inventada. Donde o escoteiro terá que ter mais que uma mochila. É inevitável. Porquê? Porque mais cedo ou mais tarde surgirá aquela atividade em que a mochila de 30 litros não é suficiente. Ou a mochila de 70 litros é demasiado grande. Ou há uma mochila melhor que queremos comprar.

Um guia de compra de mochilas seria impossível de realizar. Tantas marcas, tantos modelos, tantas funcionalidades que percorrê-los a todos seria o trabalho de uma vida e decerto ficaria incompleto. Mas há uma coisa que tens que saber. A medida do teu torso, que é a medida que vai desde a crista ilíaca, até ã vértebra C7, (aquela que fica para fora quando dobras o pescoço para a frente) medido sobre a coluna. esta medida é importante para comprares uma mochila ajustada ao teu tamanho.

 

QUANDO COMPRAR A MOCHILA 

 

A melhor altura para a compra da mochila, é quando se vai comprar pela primeira vez o material da primeira atividade. Assim, pode experimentar-se a capacidade ideal, e o "fit" ideal. Primeiro compras o material e depois uma mochila onde vais meter o material que compraste. Não faças ao contrário ou vais descobrir que a mochila é demasiado pequena, ou demasiado grande.

 

MÍNIMOS REQUISITOS DE UMA MOCHILA

 

 - Correias de ombros ajustáveis com fecho peitoral e cintura ajustável. 

 - Tecido resistente. As mochilas de Alpinismo são impermeáveis mas de um tecido fino, por causa do peso. Para o escotismo isso pode ser uma valia, mas a verdade é que as mochilas vão passar grande parte da sua vida em porões de autocarros, chãos de gares e combóios, no meio do mato... e por isso devem ter um pouco mais de resistência.

 - Deve ser de uma volumetria proporcional ao tempo da atividade e ao peso de quem a vai transportar carregada. O tamanho médio em termos de capacidade é desde 30 a 50 litros. É o suficiente para 3 a 4 dias de atividade.

 

CONFORTO E COLOCAÇÃO DA MOCHILA

 

 - 1 - carregar a mochila

 - 2 - afouxar as correias dos ombros e colocar a mochila às costas

 - 3 - fechar o cinturão e ajustá-lo. Certificar-se que a mochila assenta completamente sobre a cintura. A cista ilíaca tem que ficar bem no meio do cinturão

 - 4 - ajustar as correias dos ombros. Atenção para não ficarem muito apertadas. Isso vai fazer com que o peso seja retirado da cintura e ao fim de alguns metros os ombros vão começar a doer e vais ter dificuldade em respirar.

 - 5 - fechar o ajuste peitoral com a finalidade de retirar a parte inferior das alças das axilas. Lembra_te que esta não é uma correia de ajuste.  Cuidado porque o ajuste peitoral ao aproximar as alças vai retirar peso do cinturão.

 

SACO CAMA

 

O Saco cama é como a mochila. Tantos modelos e funções que é quase impossível falar de todos. 

É nesta peça de equipamento que se cometem os maiores "pecados", por isso é necessária muita atenção, e  raciocinar com a cabeça e não com o coração.

 

Como referido mais atrás, existem dois tipos de sacos cama. De penas e de fibra. Os de penas são para se dormir em temperaturas extremas, ou seja, para temperaturas ou a elevadas altitudes ou a elevadas latitudes. Não é o nosso caso. Ainda assim, acho que se deve fazer aqui uma breve introdução ao funcionamento dos sacos camas para se perceber melhor o quanto podemos comprometer os nossos miúdos com uma "má escolha".

 

1 - Nenhum saco cama é quente.

O saco-cama aquece com o calor do nosso corpo, e tem a capacidade de manter essa temperatura, sendo que a mesma se perde para o exterior durante a noite.

 

2 - Os sacos cama têm uma escala de temperaturas, ou seja, uma temperatura de conforto, e uma temperatura extrema.

Ambas são testadas em humanos dormindo completamente nus dentro dos sacos cama. 

 

3 - Um tecto, uma tenda, um abrigo, aumentam em cerca de 5 graus toda a escala de temperaturas.

Assim como a roupa: pijama, polares, etc. Donde a cada valor da escala, se quiserem ser conservadores somem para o Inverno, 10 graus, e para o Verão 5 a 7. Ou seja, se um saco cama disser que o conforto é 5 graus, ou seja que apenas apartir desta temperatura o corpo começa a diminuir a capacidade de manter o saco cama a uma temperatura constante, podem assumir que de Inverno a dormir, vestido, e em tenda ou abrigo, esse limite ocorrerá aproximadamente nos -5 graus. 

A temperatura extrema é a temperatura a partir da qual o corpo poderá não ter capacidade de manter o saco-cama quente, ou seja, é a temperatura a partir da qual, estando nus no saco-cama, o corpo vai ter frio (como se não tivesse o saco cama).

 

Como já poderão ter concluído, pode economizar-se no espaço que um saco cama ocupa comprando-o para as temperaturas adequadas, e o frio que possamos passar, depende muito da roupa e daquilo que comemos e bebemos antes de nos deitar... na tenda.

 

Para a maior parte das temperaturas do nosso pais, a sugestão vai para sacos-cama com Conforto de 9 a 7 graus e Extremo, 2 a 0 graus.

 

ROUPA

 

A roupa é algo a que devemos dar extrema importância. A roupa é algo que descuramos muitas vezes fazendo opções erradas que nos podem custar caro, quer do ponto de vista da saúde, quer do ponto de vista do conforto.

A roupa para o escotismo não é necessariamente a roupa da escola, ou de passeio. Temos que levar em conta que a roupa do Escoteiro serve um propósito que muito poucas vezes se relaciona com as funções que habitualmente damos às roupas do dia-a-dia.

 

MATERIAIS

A roupa deverá ser em fibras sintéticas. As mais comuns são o poliéster e a fibra polar (que é poliester embora com maior densidade). O objetivo principal é não adquirir fibras animais ou vegetais naturais (lã, linho, seda, algodão) porque devido à sua natureza produzem quando molhadas, o efeito que não se pretende: arrefecimento por evaporação.

Vale a pena perder um pouco mais de tempo para ler uma pequena explicação de como funciona este fenómeno e como ele pode ser-nos prejudicial.

A transpiração é o fenómeno fisiológico a que o nosso corpo recorre para arrefecer. O nosso corpo depende desse fenómeno natural chamado evaporação para arrefecer. Faz isto transpirando, ou seja, emitindo água que em contacto com o ar evapora, promovendo o arrefecimento. O fenómeno ocorre em qualquer circunstância desde que forcemos o nosso corpo a aquecer demasiado. Por exemplo quando está calor, ou quando, através de atividade física intensa "aquecemos". O perigo não resulta deste fenómeno em sí mas sim da correlação com a temperatura exterior, isto é, se a temperatura exterior, for elevada, como no Verão, continuaremos a suar, até porque o corpo necessita de estar continuamente a arrefecer. No Inverno, não suamos tanto, mas é quando as temperaturas externas são baixas que este fenómeno se torna mais rapidamente perigoso. 

A razão é também em si fisiológica, ou seja, todas as ações do nosso corpo, respirar, o movimento cardíaco, os impulsos elétricos do cérebro (pensamentos) consomem energia. E energia é calor.

O que sucede no caso concreto - ou o que é problemático - é que o nosso corpo consome muito mais energia com o aquecimento do que com o arrefecimento. Mesmo assim o arrefecimento pode ser perigoso já que consome água do nosso corpo, mas isso é outro tema. 

O que sucede quando em tempo frio realizamos uma atividade em que suamos, isso acontece porque, criámos movimento intenso o suficiente para gerar um diferencial de temperatura que o hipotálamo (região cerebral que regula a temperatura corporal) reconhece como a necessidade de realizar a transpiração. Essa transpiração vai acumular-se na roupa, e a evaporação vai realizar-se normalmente mas muito mais rapidamente e muito mais intensamente durante o tempo frio. A roupa molhada junto ao corpo vai funcionar como um acumulador, neste caso de frio. Ou seja, ao manter-se molhada, o processo de evaporação, até estar concluído, vai continuar a arrefecer o corpo. Neste momento o hipotálamo vai "girar o termoestato" para "quente" e vai tentar produzir calor (e logo consumir energia). O perigo desta situação é quando deixamos de ter energia suficiente para gerar calor com o processo de arrefecimento ainda em curso (por força da água retida na nossa roupa). Esta é uma situação mortal (sim, mortal) que se conheçe como hipotermia.

Posto isto, devemos:

 

1 - Escolher roupa sintética. Porque as fibras aquecem ao mesmo tempo e nelas a evaporação demora cerca de 10% do tempo de, por exemplo, em algodão.

 

2 - Essa roupa é extremamente absorvente, deslocando a transpiração para longe da pele, potenciando uma rápida evaporação.

 

3 - Em conjunto com fibras de aquecimento - polar - fazem efeito forno, ou seja, promovem a evaporação, eliminam a condensação e aquecem.

 

4 - o melhor tecido natural com propriedades parecidas é a lã. Pela simples razão que é possível aquecê-la mesmo molhada. (assim tenhamos energia suficiente para isso).

 

Nota: sobre vestir em camadas iremos realizar um documento próprio.

 

OUTRO MATERIAL

FOGO

 

O fogo é essencial ao escoteiro. Preferível isqueiro a fósforos e uma pederneira a qualquer outra fonte de ignição. A razão é que mesmo molhada a pederneira produz sempre faíscas.

 

CORTE

O material de corte é muito importante para o Escoteiro. A escolha desse material deve ser feita em consciência e de acordo com a idade e destreza de quem o vai utilizar. Preferível um canivete com travão da lâmina  a um sem travão, e é preferível uma faca a um canivete. A faca não se fechará na mão do escoteiro como o canivete, é mais barata e permite acionar a pederneira. Sobre este material deves sempre falar com os teus Chefes antes de fazer qualquer compra.

 
ALIMENTAÇÃO

 

TRASNPORTE DE COMIDA

Uma marmita de inox é preferível a uma marmita de alumínio e esta é preferível a uma marmita de plástico

 

TRANSPORTE DE ÁGUA

 

Não comprem cantis de bolsa. Não paguem merchandising que não produz nada de especial. As capas térmicas não mantém a água fresca, ou quente por mais do que duas horas. Se pretendem esse feito, o melhor é mesmo um termo ou garrafa térmica.

Desde o alumínio ao nalgene (plástico inóquo de alta resistência) tudo é indicado. Existem várias opções de preços e cores à venda. Aconselhamos em caso de adquirir plástico que ele seja transparente e de preferência incolor.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now